terça-feira, 5 de julho de 2011

II Workshop Internacional da Associação Nordestina de Bonsai - ANB

Convido todos vocês a participarem do II Workshop Internacional da Associação Nordestina de Bonsai - ANB, que acontecerá no período de 21 a 23 de outubro de 2011, em João Pessoa (PB). 

quarta-feira, 22 de junho de 2011

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Criterios para Seleção do Bonsai para Exposição


As questões que considerar quando selecionando Bonsai para a exposição são os seguintes;
Raízes / Nabari: Raízes devem ser uniformemente distribuída a partir da base do tronco, formando um bom contraforte. Sem raízes finas evidententes. Raízes aéreas (a não ser pelo proprio estilo) são indesejáveis. Raiz-sobre-estilos de pedra deve ter suas raízes firmemente ligadas a pedra e ser uniformemente espaçados.
Tronco: O tronco deve respeitar o estilo indicado pelo expositor e deverão ter conicidade. Cicatrizes de poda deve ser mínima, bem cicatrizada. Efeitos Jin / Shari não devem distrair (considerar os efeitos sobre cor branca de alguns jins. Casca de desenvolvimento deve sugerir maturidade.
Ramificação: Os galhos devem ser proporcionais ao tronco, com os grandes na parte inferior da árvore e deve alternar evitando galhos duplos ou opostos na mesma altura. Eles devem estar bem definido e ramificados, se estiverem com fio, estes devem estar aramados de forma adequada. Uma copa bem formada é desejável para apresentação.
Não devem possuir cicatrizes de arames, porque podem prejudicar a apresentação, mas a fiação perfeitamente executada é aceitável. Boa estrutura de ramificação é vital para a apresentação geral.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Suiseki e sua classificaçao



I. FORMA DE CLASSIFICAÇÃO
Scenic paisagem Stones ( Sansui keiseki / Sansui Keijo-seki ) -------------------------------------- ----------------------

  • pedras da montanha ( Yamagata-ishi ) pode se assemelhar a uma montanha única (longe e perto distante) ou várias montanhas.
    • pedras da montanha distante ( Toyama-ishi/Enzan-seki ) Montanhas visto de uma distância grande.
    • Próximo da visão pedras da montanha ( Kinzan-seki ) Montanhas visto de perto.
    • Pico pedras Único ( Koho-seki ) Montanhas com apenas um pico.
    • Pico pedras Duplo ( Koho-seki ) Duas montanhas, ou uma única montanha com dois picos.
    • Pico pedras Triplo ( Sampo-seki ) Montanhas com três picos.
    • pedras Serra ( REMPO-seki ) Faixa de montanhas, em vez de uma única montanha com um ou mais picos separados.
    • Robusto Stone Mountain ( Seigaku-seki ) pedras com características de montanha acidentado.
    • cobertos de neve da montanha de pedra ( ishi-Sekkei ) pedras da montanha com neve, como os minerais no pico ( s ) ou nas laterais.
    • Scenic. Pedra deserto distante, vista panorâmica do deserto, por vezes com vários morros ou chapadas.
    • Deserto de pedra da montanha. Pinnacles ou espirais em picos.
    • Butte pedra. montanhosas isoladas com liso / erosão superior; paredões verticais. Base geralmente rochas, formando uma inclinação do chão do deserto.
    • Mesa de pedra. -como formação de montanhas achatadas, largas e afiadas topo lados verticais.
  • pedras Cachoeira ( Taki-ishi ) montanha se assemelham com um ou mais cachoeiras. Cachoeira sugerido pela raia de mineral branco no topo da pedra, descendo frente.
    • Thread cachoeira-pedras ( Itodaki-ishi ), sugerido por uma fina linha de-como material de quartzo correndo na frente da pedra.
    • Folha cachoeira-pedras ( Nudodaki-ishi ) linhas mais amplas de cor de materiais mais leves descendo a frente da pedra.
    • pedras da cachoeira seco ( Karedaki-ishi ) as inscrições definitivas que sugerem uma cachoeira seca.
    • pedras da cachoeira Mountain ( Yamagata-taki-ishi ) pedras da montanha com uma ou várias cachoeiras que aparecem em sua superfície frontal.
    • Montanha-stream pedras ( Keiryu-seki ) Stream que atravessa vale, muitas vezes veia mineral branco onde o fluxo seria. Ideal se stream funciona diagonalmente, contra o da frente para trás.
  • pedras Planalto ( Dan-seki/Dan-ishi ) socalcos encosta ou uma série de etapas planas subindo em direção a um precipício. pedra Classic tem pelo menos três etapas que variam em tamanho, a etapa deve ser vertical ou quase.
  • pedras Island ( Shimagata-ishi ) ilha se assemelham saindo da água, baixa estatura, sugerem baías ou enseadas, normalmente apresentado em uma suiban doban ou preenchidos com areia ou água para melhorar a imagem da ilha.
  • pedras Slope ( Doha-seki/Doha-ishi ) Sugerir as colinas de um plano ou uma ladeira subindo suavemente em direção a um morro.

Bonsai e suiseki combinaçao perfeita

A combinação artística e poética entre o Bonsai e o Suiseki cria uma verdadeira obra de arte. A associação acrescenta força para o bonsai e vida ao Suiseki. E para tanto, um sentido de beleza intemporal é adicionado.
 Combinações de Suiseki e bonsai


As melhores combinações são obtidos com Suiseki bonsai e que são encontrados juntos na natureza.
  • Suiseki bonsai e deve estar em harmonia



  • combinação deve reforçar o sentimento e estética de cada um



  • sempre seguir a natureza



  • refletem o espírito de contrapartidas no tamanho original



  • sugerir formas naturais com simplicidade 

  • O penjing - Arte da China

    Escrito por Gau Francois
    O penjing vem da China e, literalmente, significa pote, a paisagem é uma arte milenar que se desenvolveu principalmente na dinastia Tang 618-907. É a origem do bonsai japonesas.
    Esta é uma fotografia do que irá sugerir a natureza da montanha, um pico ou um platô das ilhas. Colocado sobre uma placa de mármore evocará um corpo de água pode ser apresentado em um pote com areia ou substrato de musgo. Nós também podemos encontrar árvores.
    A exibição pode ser distante e representam uma montanha na sua totalidade. As árvores serão muito pequenas. Mais próximo que temos uma montanha, um recife. As árvores serão um pouco maiores do que a visão anterior. Com uma visão de perto as árvores vão ser ligeiramente maior ou menor do que a pedra. E então, codificou o estilo mais conhecido ishi-tsuki
    alt

    Penjing

    Em passeios, por vezes, apanhar pedras para removê-los porque nós achamos tão bonita como você começar a ser viciada em penjing.
    Em muitos potes de iniciantes em bonsai não é incomum encontrar pedras colocadas por isso ainda não é muito estético.
    Como eu perguntei ao chinês e pedras empilhadas, que cria me preocupa e, por vezes, a estabilidade do peso. Também é difícil encontrar pedras bonitas.
    Depois de encontrar belas pedras, vamos ter que cortar para ter uma base estável. Um moinho equipado com um disco de diamante será necessário. É altamente recomendável o uso de luvas e óculos.

    O Suiban eo Doban

    O suiban e doban são pratos oval ou retangular usado para exibir Suiseki. Soft delicada Suiseki lisas são mais adequados a um ou suiban doban, bandejas mais superficial e ovais, com um bordo estreito ou não dos lábios e pernas simples. Suiseki grandes e resistentes são apropriadas para as bandejas poderoso e ornamentado.



    Daiza para suiseki

    O Daiza (pronuncia-se dye'-za)
    Características comuns do Daiza:
    A arte de esculpir daiza é uma habilidade especializada que envolvem a atenção cuidadosa aos detalhes da pedra para o qual está sendo criado. 



  • esculpida em conformidade com a forma de pedra







  • madeiras de tons escuros







  • Acabamento natural ou envernizado com verniz preto, marrom, marrom-avermelhada ou clara







  • lábios estreitos e pernas curtas







  • com fundo de pedras irregulares ou desiguais, daiza é muitas vezes esculpido para encaixar a forma de pedra

    O Dai
    Este termo refere-se a toda a exposição que é um carrinho ou plataforma. Às vezes usado como sinônimo de Daiza.








  • Como expor um suiseki

    Um dos aspectos mais importantes do Suiseki é o grande cuidado que é tomado em exibir pedras - utilizando recipientes adequados e elementos de visualização. Suiseki deve ser sempre o elemento predominante eo recipiente ou ambiente não deve diminuir a partir da pedra. Os dois mais comuns os métodos tradicionaisda exposição arethe Daiza eo Suiban.

        Itens de exibição mais Comuns de Suiseki
     
  • daiza: uma base de madeira entalhada em conformidade com a forma da pedra



  • dai: meio rack, suporte ou descanso; daiza aka



  • suiban: uma bandeja rasa preenchidos com areia e / ou água



  • doban: suiban metal, geralmente de bronze



  • shoku: mesas de madeira pequeno ecrã



  • caixa de proteção, armazenamento e transporte Suiseki: Bako



  • kiri Bako: caixa para Suiseki com daiza; madeira de Paulownia luz usada para a leveza e proteção contra umidade



  • jiita: placas de madeira fina colocada sob Suiseki



  • tokonoma: um nicho de 3 metros de profundidade, 6-9 metros de largura, geralmente exibe objetos e outros Suiseki



  • telas shoji
  • Tipos de pedra para suiseki

     Embora quase todo rocha / pedra / minerais podem ser utilizados para ver as pedras, a tabela abaixo mostra alguns dos mais populares:

    Gneisse
    Gnaisse é um tipo de rocha metamórfica típico, em que uma rocha sedimentar ou ígnea foi enterrada e submetidos a altas temperaturas e pressões. Quase todos os vestígios da estrutura original (incluindo fosseis) e tecidos (como camadas e marcas de onda) são eliminados minerais como o migram e recrystallize. As estrias são compostas de minerais. Gnaisse pode recrystallize totalmente em granito. Apesar do carácter altamente alterada de gnaisse, pode preservar as provas geoquímicas de sua história, especialmente em minerais como o zircão que resistem metamorfismo. As rochas mais antigas conhecidas são gnaisses crustal da Gronelândia ocidental, quase quatro bilhões de anos. Gnaisse é uma antiga palavra alemã que significa brilhante ou cintilante.
    Jaspe
    Ocean Jasper é uma ágata pela definição padrão (ágata sendo opacos e translúcidos sendo jasper). Ocean Jasper raramente é opaco. Decidiu-se chamar o material de jaspe, pois os padrões rhyolitic têm sido associadas com a categoria de jaspe no passado e porque "jasper" é listado como o recurso mineral nas indústrias de mineração reivindicações de propriedade de Madagascar Minerals.
    Madeira petrificada
    A madeira petrificada "são troncos ou galhos de árvores caídos, principalmente verde, que cresceu no Período Triássico (240 a 205 milhões anos atrás). Eles se transformaram em pedra por um processo de dissolução de sílica e outros minerais se infiltrando e substituir a fibra de madeira . Toda a madeira petrificada em ArtGeo foi recolhida em terras de propriedade privada, a maioria, mas não todos, no Arizona (EUA). Tudo isso é completamente legal para comprar e possuir. Se cortado e polido, ou no seu estado natural, estes "one-of-a-kind" pedaços de madeira petrificada são incomuns, interessante e muito bonito.
    Jadeite
    Jadeite é um dos dois minerais chamados de jade. O mineral jade outro é nephrite, que é uma variedade de actinolita. Jade tem sido usado por eras na China e na América Central, como uma pedra ornamental e religioso de profundo significado. O jade nephrite era usada principalmente na China, embora ambos tenham sido utilizados em ambas as regiões. Nephrite é mais abundante do que jadeíte e tem poucas variedades de cor, variando apenas de creme branco e verde. Jadeite é encontrado em fortemente metamorfizadas ricos em sódio serpentinous rochas, e é nomeado a partir do espanhol "piedra de ijada" (pedra do lado), como ele foi pensado para curar cálculos renais e doenças do rim outros. Jadeite é geralmente cinzento verde, e também pode ser branco, um pálido azul-cinzento, ou mesmo um roxo pálido.
    Diopsídio
    Diopsídio é um mineral de rocha importantes que fazem em diversos metamórficas e básico para ultra rochas básicas, também encontrados em meteoritos. Diopsídio tem diversas variedades, incluindo uma variedade gema de cromo-diopsídio rico chamado cromo. Violan é a variedade azul raro encontrado em algumas localidades na Itália. Há também um "olho de gato" verde variedade que contém inclusões minutos, provavelmente de rutilo, que refletem a luz de tal forma a produzir um luminscence animada linear dentro do cristal. Ainda outra variedade é bastante escuro, com agulhas de rutilo incluídos alinhadas de modo a produzir uma estrela de 4 raios, daí o nome diopsídio estrelas. diopsídio Ordinária normalmente é branco ou verde e pode ter um brilho agradável vítreo, muitas vezes cortadas para pedras preciosas.
    Serpentina
    rock Serpentine é maçã-verde para o preto e muitas vezes é manchado com a luz ea escuridão áreas coloridas. Suas superfícies geralmente têm uma aparência brilhante ou cera gosta e se sente um pouco de sabão, geralmente de grão fino e compacto, mas podem ser granular, platy, ou fibroso. Serpentine ocorre na Califórnia central e do norte - em escalas de costa, as montanhas de Klamath, e no sopé da Serra Nevada. rock Serpentine é principalmente composta de um ou mais minerais de silicato de magnésio, tais como crisotila - muitas vezes ocorrem como vênulas fibroso em serpentina, o tipo mais comum de amianto que se divide em fibras finas, fortes e flexíveis, que são resistentes ao calor. Serpentine muitas vezes contém alguma amianto, e deve ser usado com cautela.
    Chrysophrase
    Chrysophrase (aka Crisoprásio) é sinal verde para maçã verde na cor, nomeado para a Península Gaspe 'em Quebec, onde era originalmente encontrado. A cor vem sulfetos níquel. Crisoprásio é a variedade mais valorizado da calcedônia mineral (quartzo microcristalino) que contém níquel, dando-lhe uma cor verde-maçã. É poroso e translúcido, geralmente cortada como uma cabichon, e tem sido usada desde tempos antigos. Crisoprásio tem uma dureza de 7 e uma gravidade específica de 2,6. Crisoprásio é extraído na Austrália, Rússia (Mtns Urais.), Brasil, e parte ocidental dos EUA. Crisoprásio é às vezes chamado "jade brasileiro", mas não está relacionada com o jade. Difícil de detectar crisoprase imitação é feita através da coloração de ágata com sais de cromo.

    Preparando suisekis

    Limpesas das pedras para suiseki


    Lavagem das pedras

    Depois de encontrar pedras na natureza, o primeiro passo é limpar a pedra. Existem vários métodos amplamente praticada de limpeza - alguns muito simples, e alguns métodos tais como a limpeza ácida, que requerem considerações importantes sobre segurança.
    Limpeza de pedras no local
    Já que as pedras são geralmente sujas encontrados na natureza, você deve limpá-los no local:
  • limpar com pauzinhos







  • escovas com cerdas curtas rígido







  • pincéis







  • lavar em água sempre que possível Limpeza de pedras em casa

    1. lavar com jato de água forte ou limpeza de alta pressão
    2. colocar em recipiente de plástico cheio de água adicionar algumas gotas de detergente e misture
    3. molho por 5 - 20 minutos
    4. examinar pedra
    5. limpe com escova de plástico
    6. de solo mais duro, deixe de molho por alguns dias
     
  • 2º Encontro Regional de Bonsai das Associações e Clubes/RS

    Atenção pessoal do Rio Grande do Sul e amigos de outros estados: confirmada a data, convidados e novidades do evento.

    Será em Caxias do Sul, dias 30 de abril e 1º de maio, na Floricultura Casa do Bonsai. Teremos a presença dos argentinos Sergio Luciani e Sebastian Ferlini, e Carlos Tramujas do Brasil.

    O evento vai contar também com workshops, demonstrações simultâneas (incluindo bonsaístas gaúchos das associações e clubes), exposição de bonsai e concurso de novos talentos. Além é claro de ser mais uma excelente oportunidade para reencontrar os amigos do bonsai e trocar experiências.
    Também teremos plantas e muito material a venda.

    As inscrições podem ser feitas diretamente nas associações e clubes participantes ou com:
    Casa do Bonsai (Caxias do Sul) – Edson fone (54) 3225.3784 ou pelo e-mail casadobonsai@casadobonsai.com.br
    Bonsai Sul (Porto Alegre) – Luis fone (51) 3217-6074 ou pelo e-mail rodmac@terra.com.br


      
    Programaçao

     

    1º Evento Internacional da Associação Nordestina de Bonsai

    Sera realizado no período de 20 a 22 de maio de 2011 em Natal (RN) 1º Evento Internacional da Associação Nordestina de Bonsai . Será uma grande oportunidade de aprendermos um pouco mais com um dos mais renomados bonsaístas do mundo, o Nacho Marín, da Venezuela e desfrutar das belezas da cidade.



    segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

    história do Suiseki - arte em pedra

    O Penjing primeiro e Gongshi foram apresentados à imperatriz do Japão Regent Suiko pela corte imperial chinesa entre 592-628. Estas primeiras pedras foram extremamente interessante para o tribunal japonês e da aristocracia. Eles eram fantasticamente         moldado, com buracos, depressões e superfícies altamente erodida. Eles eram verticais         pedras, representante da imponentes montanhas e penhascos da China. Estes pedras ficou muito popular no Japão há centenas de anos.

    Suiseki - A arte das Pedras

    Oque é Suiseki? Suiseki é A arte japonesa de miniatura 
    de pedras, a arte de tentar representar fenômenos
    naturais, de paisagem para a grande universo, 
    com uma pedra a poucos centímetros. 
    A arte do Suisekicomeça com a coleta de pedras na 
    natureza passando por uma preparaçao e culmina em 
    um sentido de beleza e de uma relação emocional e espiritual 
    entre o coletor de campo e da pedra. revive Suiseki, refresca e enriquece a mente. 

    domingo, 13 de fevereiro de 2011

    Como fazer bola Kokedama-Moss

     Neste tutorial, você aprenderá como fazer seu primeiro kokedama facilmente e alguns conhecimentos básicos.

    Kokedama bonsai

    1. Prepare os materiais:

    • turfa
    • solo Akadama
    • Musgo Verde
    • Jornal
    • Linha de algodao verde
    • tesoura
    • água
    • luvas
    • balde 

    Kokedama, muito prazer!

    O Kokedama nada mais é do que um tipo de Bonsai, chamado tbm de String Garden ,  resumindo Kokedama quer dizer uma bola (dama) de musgo (koke). Ele não tem uma tradição/ história tão longa quanto os outros bonsais, e se baseia num estilo popular de bonsai durante a era Edo no Japão, e é um bonsai cresceu primeiro em uma panela e levado para fora da panela e definir em um carrinho para desfrutar sem um pote. Nearai No estilo, o bonsai foi crescido tão plena e firmemente no pote que a raiz eo solo que manter a forma quando retiradas da panela.
    O Kokedama era considerado o Bonsai dos pobres, visto que os Bonsai propriamente ditos eram reservados as elites Japonsesas com poder aquisitivo para isso. O grande diferencial do Kokedama é sua simplicidade em termos de elaboração/manutenção e principalmente o seu substrato em forma de bola coberto de musgo verdejante, efeito que é conseguido com a utilização de musgo para compor um torrão redondo onde as plantas serão fixadas, geralmente é mais elaborado que o Kusamono, pois é primariamente uma peça individual, portanto não há preocupação com o fato de sua elaboração poder ser bem mais cuidadosa. Pode ser exibido em qualquer tipo de recipiente, dos clássicos aos moderno recipientes que qualquer um tem casa. Assim como o Kusamono o Kokedama é muito popular no Japão e se espalhou pelo mundo por sua beleza simples.

    Kusamono e Shitakusa - Formando composições harmoniosas


     Como já sabemos, quando se expõe exclusivamente um bonsai de ervas ou de flores, o chamamos de kusamono. Ao contrário, quando o objeto principal é um bonsai ou suiseki, as plantas de acompanhamento são denominadas shitakusa (se pronuncia staksa).
    Para os shitakusa ou plantas de acompanhamento se empregam, de maneira geral, recipientes planos de cerâmica, com o propósito de simbolizar uma paisagem plana e vasta. Os pequenos vasos para bonsai são quase sempre inapropriados, já que sua borda é muito alta.
    A necessidade de vasos mais baixos para as plantas de acompanhamento se deve que a massa principal de folhagem destas não deve se sobressair por cima do nível da apresentação ou da base sobre a que esta situado o bonsai ou suiseki (borda superior da mesa onde se encontra). A massa principal de folhagem de um shitakusa deve alcançar no máximo o nível de apresentação do bonsai. Unicamente se permite que apareçam algumas flores ou frutificações. Os kusamono são pequenas plantas de "acento" ou shitakusa e podem ser de qualquer tamanho. Não é necessário ter em conta a altura da composição. Antes de tudo, as plantas e o vaso devem ser belos e formar um conjunto harmonioso.

    KUSAMONO - Qual a importância dele para o bonsai?

    Muitos cultivadores, à medida que vão adquirindo experiencia na nobre arte, seja através do simples passar dos anos, dos eventos de que participa, dos cursos, workshops, exposições que frequenta, ou simplesmente através de material didático como livros e revistas, vão aos poucos adquirindo tambem consciencia sobre formas diferentes de trabalhar suas plantas visando finalizá-las como um bonsai completo.

    Nessa linha, o bonsaista acaba por descobrir que, ao expor um trabalho seu, pode ampliar a mostra, adicionando componentes que realcem e abrilhantem ainda mais seu trabalho, como uma mesa para colocar sob o vaso, uma tabua ou pedaço de madeira com a mesma finalidade, pedras exóticas, com formatos variados, que hoje sabemos definir como sendo SUISEKI.

    Na sequencia dessas descobertas, dessas novidades complementares, temos então plantas de acento, que são definidas por seus nomes japoneses: KUSAMONO ou SHITAKUSA. A diferença entre uma e outra é uma linha bem tenue, que por vezes confunde mais que explica. O primeiro faz uma referencia a plantinhas maiores e o segundo a menores, como gramineas e similares.

    Kusamono , Shitakusa e Kokedama

    Cada um destes nomes refere-se a um estilo de arte contemplativa japonesa envolvendo a elaboração de layouts com plantas terrestres, sendo que a mais conhecida atualmente, pelo menos entre os  bonsaistas é exatamente o estilo Kusamono e Shitakusa.
    Antes de tudo precisamos estabelecer uma característica tão simples quanto básica referente a temporalidade destes arranjos. Todos estes  tres estilos são elaborados com elementos vivos, que irão crescer, desenvolver-se e mudar conforme o tempo, eles tem portanto duração indeterminada e não breve. Outros estilos existem para os arranjos não vivos e de existência mais breve, como os famosos arranjos Ikebana ou ainda o Suiseki que se trata da apreciação de rochas, que podem ter muitas formas e evocar semelhanças a pessoas, animais, objetos, plantas, paisagens ou mesmo simples abstrações, mas que trazem consigo algum valor estético, 

    Kusamono ou Shitakusa
    Kusamono
    Kusanomo são arranjos que primitivamente eram elaborados como acompanhamento para exibições de Bonsai no estilo clássico (Tokonoma), de pinturas, poemas (Haiku), Suiseki, etc. Estes pequenos arranjos funcionavam como auxiliares, portando eram criados de forma a complementar um conjunto, sem sobrepor o assunto primário, ou até aludir a origem da peça principal, por exmeplo de onde veio o Suiseki ou Bonsai ou qual a inspiração para o Haiku. Sua composição usa vasos para Bonsai ou bandejas próprias chamadas Suiban e sua beleza está na simplicidade. Com o passar do tempo o Kusamono passou a ter sua estética apreciada separadamente e ganhou vida própria na forma de belos arranjos vivos com feições naturais, recebe o nome de Shitakusa. Um bom Kusamono não é algo estático, ele cresce e muda conforme o passar do tempo. Na foto acima note que o pequeno Kusamono contrapõem e equilibra a visualização do imponente bonsai.

    Kokedama
    Kokedama
    O Kokedama era considerado o Bonsai dos pobres, visto que os Bonsai propriamente ditos eram reservados as elites Japonsesas com poder aquisitivo para isso. O grande diferencial do Kokedama é sua simplicidade em termos de elaboração/manutenção e principalmente o seu substrato em forma de bola coberto de musgo verdejante, efeito que é conseguido com a utilização de musgo para compor um torrão redondo onde as plantas serão fixadas, geralmente é mais elaborado que o Kusamono, pois é primariamente uma peça individual, portanto não há preocupação com o fato de sua elaboração poder ser bem mais cuidadosa. Pode ser exibido em qualquer tipo de recipiente, dos clássicos aos moderno recipientes que qualquer um tem casa. Assim como o Kusamono o Kokedama é muito popular no Japão e se espalhou pelo mundo por sua beleza simples.

    Plantas de Acompanhamento

    O que são plantas de acompanhamento e qual e o seu papel?
    As plantas de acompanhamento ou Kusamono em Japonês, estão associadas aos bonsai
    desde que estes estejam expostos.
    São composições vegetais destinadas a acompanhar e dar valor aos bonsai nas
    exposições.

    sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

    Como expor um bonsai

    O crescente número de clubes, associações, exposições e concursos de bonsai que estão aparecendo no Brasil, fruto de um crescimento fantástico de apaixonados pela arte, nos fazem vislumbrar um futuro muito breve de sucesso. Com isso alguns temas devem ser aprimorados, para que a qualidade não seja esquecida. As apresentações nas exposições devem melhorar de qualidade, nos aproximando cada vez mais dos países com maior desenvolvimento no bonsai.
    A saúde do Bonsai é muito importante, este deve estar sem doenças e com vigor, coloração saudável, folhagem brilhante e densa. Devemos limpar as folhas que estão com pó e sujeira com um pano umedecido com água. A madeira morta perfeitamente limpa e branqueada, com ausência de focos de podridão na madeira. A planta deve estar bem podada e pinçada, com os níveis entre os galhos bem definidos. Os galhos principais não poderão estar aramados (os três primeiros galhos). Em caso de necessidade, poderão apresentar tensores, desde que discretos. Arames podem ser aceitos nos galhos secundários e terciários. Dê preferência aos arames opacos e mais discretos, que não chamam a atenção visual do observador.
    A relação árvore-vaso deve estar correta. Não podemos nos esquecer que vasos pintados e de cores vivas são para árvores de flor e fruto. Os vasos sem pintura, de tons escuros e neutros, são para coníferas em geral. As árvores retas devem estar em vasos retangulares, e as árvores com tronco sinuoso em vasos ovais ou redondos. A correta posição da árvore no vaso não pode ser esquecida. A frente do vaso deve estar virada para o observador. Portanto é importante observar se a frente da planta está de acordo com a frente do vaso. Cada tipo de vaso tem uma frente que se leva em conta ao colocar a planta (veja exemplos abaixo).

    domingo, 6 de fevereiro de 2011

    Como Medir Um Bonsai

    É sabido que o bonsai também possui uma classificação segundo o tamanho (altura) e, por conseguinte, é importante sabermos como medi-los corretamente, especialmente se tivermos a pretensão de participar de algum concurso.
    A título de ilustração, transcrevo uma dessas classificações e, para não causar polêmicas, ressalvo que trata-se apenas de um modelo  seguido por algumas Escolas. Cabe às Federações e/ou Entidades representativas de cada país ou região a decisão de seguir padrões existentes ou estabelecer seus próprios padrões.
    Até 2,5cm (1”) => Keshi Tsubu ( Miniatura de bonsai)
    De 2,5 a 7,5 cm (1″ a 3”) => Shito Bonsai (Muito Pequeno)
    De 7,5 a 15 cm (3″ a 6″) => Mame Bonsai (Mini)
    De 15 a 25 cm (6″- 10″) => Shohin Bonsai (Pequeno)
    De 25 a 40cm (10″ a 16″) => Kifu Bonsai (Médio)
    De 40 a 60 cm (16″ a 24″) => Chu Bonsai (Meio-Grande)
    De 60 a 100 cm (24″a 40″) => Dai Bonsai (Grande)
    Acima de 100 cm (>40”) => Bonju (Bonsai de Jardim)
    Meu objetivo neste post não é mostrar qual padrão deveremos seguir, mas simplesmente ilustrar como são efetuadas essas medidas:
    Normalmente, a altura da árvore corresponde à medida entre a borda do vaso e o ápice…




















    Continue lendo ...

    http://sergivaldo.projetobonsai.com/2009/09/21/como-medir-um-bonsai/#more-119

    Produção de Musgo

    Saiba como ter sempre a mão o nosso querido musgo, aquele verdinho muitas vezes  importante para se manter a umidade no substrato de nossos Bonsai,
    Primeiro vamos pensar na origem disso tudo. Quando vemos uma árvore na natureza (e eu digo natureza mesmo, não na cidade), como é o local onde ela está? Geralmente com grama ao seu redor, certo? Ou alguma vegetação rasteira,  mas quase nunca a árvore está lá, só na terra, sem nada ao seu redor… Ela faz parte de um ambiente, e interage com o mesmo, exercendo algumas funções como por exemplo fornecer sombra para vegetações que não gostam de sol. Seu tronco raramente está limpo, pode possuir fungos, musgo, o que for mais propício para aquele ambiente, acaba crescendo por ali. Ora, uma árvore adulta não vai morrer por causa de um fungo aqui ou outro ali, mas no caso de surgirem por ali plantas parasitas (que “roubam” o alimento da árvore), a proliferação dessas plantas pode “sufocar” a árvore, fazendo com que ela se torne apenas um tronco, apenas uma fonte de alimento, mas esse é outro assunto, vamos voltar ao musgo.

    A idéia de se colocar musgo no bonsai e justamente para isso… “Compor a cena“, considerando que o musgo também leva tempo para nascer e crescer, colocá-lo no bonsai pode dar uma aparência de mais idade à sua planta, desde que seja bem utilizado. Abaixo vemos uma pedra completamente coberta por musgo, e com diversas plantas fazendo a composição da paisagem.

    sábado, 15 de janeiro de 2011

    MERGULHIA

    MERGULHIA é um processo de propagação vegetativa pelo qual um ramo da planta é posto a enraizar quando ainda faz parte dela, não sendo separado antes de se completar o seu enraizamento. Esse método é um dos mais simples, apresentando a mais alta percentagem de enraizamento. Seu uso restringe-se a amadores ou aos casos em que a estaquia de algumas espécies falha. É um processo geralmente usado na obtenção de plantas que dificilmente se enraízam por meio de ramos destacados (estaquia).
    A mergulhia pode ser efetuada directamente no solo ou fora dele, isto é, no alto.


    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

    Sistema de Irrigação Automatizado

     Iqui mostraremos como montar um sistema de irrigaçao automatizado, facil de montar e sai em conta e nao pesa no bolso utilizando materiais simples e faceis de se encontrar...

    A idéia desta matéria é ajudar os colegas que, irao viajar e ficariam preocupados com a irrigaçao dos seus bonsais...

    Relação do material ...



    Timer mecânico 


    Válvula solenóide de máquina de lavar. (Ou válvula retentora de saída como os técnicos chamam)


    Pra instalar tem uma seta no sentido em que passa a água.
    Comprar as conexões hidráulicas necessárias a rede Hidráulica (luvas, veda roscas, abraçadeiras etc)
    É só colocar um fio paralelo (ou dois pólos) ligados nos dois conectores metálicos da válvula e com uma tomada na outra ponta e ligada no Timer